quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Ideias para decoração de mesa para chá de bebê, batizado e aniversário infantil

Aqui vão algumas lindas fotos que servem de inspiração na hora de decorar a mesa de sua festa:




























O que servir no chá de bebê - sugestão de cardápio

Nenhuma festa está completa sem comida! Prepare a mesa bem decorada para refletir o espírito de alegria de seu chá de bebê (ou de fralda).

O que você pode oferecer vai depender da hora do dia, seus recursos e/ou da generosidade de seus patrocinadores:

- Local escolhido (por exemplo: se o chá de bebê for realizado em um buffet, este pode oferecer o cardápio próprio, geralmente bancado pela grávida);

- Pode-se encomendar um kit para festas pronto (com doces, salgados e bolo) e as despesas vão ser divididas conforme combinado previamente;

- A futura mamãe, vovó, titia ou amigas podem se encarregar da preparação do cardápio em casa;

- Cada convidado pode trazer alguma coisa. Mas deve ser determinado com antecedência o que cada um deve trazer e em que quantidade; tal informação deve constar no convite;

- Os convidados podem trazer as bebidas e a futura mamãe se encarregar de comida. Ou vice versa.

Você pode optar por servir o lanche ou a refeição, ou deixar todos à vontade montando uma mesa de comes e bebes com acesso livre durante a festa.

Algumas sugestões de pratos práticos e fáceis de fazer:

- queijo e frios cortados em cubos;
- pão de queijo;
- canapé;
- salada;
- salgadinhos (coxinha, empadinha, pasteizinhos, etc);
- sanduíches (de queijo, patê, presunto, etc);
- torta salgada (de frango, de atum, etc);
- bolo (formigueiro, mármore, chocolate, de cenoura com cobertura de chocolate, de fubá, etc);
- brigadeiro ou outros docinhos (cajuzinho, beijinho, etc);
- torta doce (morango, pêssego, etc), pudim ou mousse;
- sorvete

E para bebidas, além do refrigerante, suco e água, é tradição que se sirva ao menos um tipo de chá, afinal, trata-se de um chá de bebê ou chá de fralda!

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

50 perguntas e respostas sobre gravidez - tire suas dúvidas:

1. Como sei que estou grávida?
O enjoo matinal, muitas vezes acompanhado de vômito, pode surgir antes mesmo do sintoma principal, que é o atraso menstrual. Costuma ser o aviso mais comum da presença de gravidez. Além dele, são recorrentes a vontade de urinar a todo o momento, a azia, a prisão de ventre, a sonolência e o ganho de peso.

2. Estou no início da gestação e tive um pequeno sangramento seguido de cólica. Isso é normal?
Cada caso é um caso. Pequenos sangramentos no início da gravidez podem ser fisiológicos ou não. Para tirar qualquer dúvida – ou seja, saber se há ou não ameaça de abortamento –, procure seu médico.

3. O que posso fazer para reduzir os enjoos?
Evite comidas condimentadas e grandes refeições. Duas dicas úteis: opte por alimentos mais secos e cumpra intervalos de duas ou, no máximo, três horas entre as refeições. Se o enjoo surge já pela manhã, ao escovar os dentes, deixe para fazer a higiene bucal após o desjejum.

4. Até quando vou ficar enjoada? Até o final da gravidez?
Os enjoos costumam desaparecer assim que o organismo se habitua às alterações hormonais da gravidez, o que costuma ocorrer ao final do primeiro trimestre de gestação.

5. Tenho muita dor de cabeça. É normal?
É comum as gestantes apresentarem dores de cabeça, principalmente quando já sentiam muitas enxaquecas antes de engravidar. Porém quaisquer sintomas mais intensos – como cefaleias diárias e insuportáveis – merecem investigação. Dores assim não são consideradas reações habituais da gravidez.

6. Por que estou sentindo tanta fome?
Principalmente porque há um ser crescendo dentro de você e ele também precisa ser alimentado. Mas isso não quer dizer que a mãe tenha de comer por dois. Ao contrário, é fundamental administrar essa fome. Para controlá-la, procure fazer várias pequenas refeições ao longo do dia: café da manhã, lanche, almoço, lanche, jantar e ceia. Para impedir o aumento excessivo de peso, evite o excesso de carboidratos e gorduras. A base de todas as refeições deve ser um filé de carne magra, ave ou peixe, verduras e frutas.

7. Por que sinto desejo de comer coisas estranhas?
Por uma questão exclusivamente emocional. Tem a ver com a gravidez, o parto e o desafio de ser mãe. Não por acaso, costuma ocorrer na primeira gravidez. Seja como for, desde que não seja um alimento prejudicial ao organismo, satisfaça seu desejo sem medo. Até porque, conforme for ganhando confiança em si, esse sintoma tende a desaparecer.

8. Estou grávida e ainda amamento meu primeiro filho. Isso pode ser prejudicial à minha gravidez?
Apesar de a amamentação provocar contrações uterinas, não há com o que se preocupar. Continue amamentando normalmente. Contudo, se sentir cólicas intensas durante as mamadas, suspenda o aleitamento imediatamente e procure seu obstetra. Esse quadro específico de dor pode ser um alerta de risco à gestação.

9. Quando minha barriga vai começar a aparecer?
A barriga começa a se tornar mais saliente a partir do quinto mês de gestação.

10. A partir de quantas semanas é possível ouvir o coração do bebê?
Os batimentos cardíacos são audíveis já a partir da quinta semana com o uso do ultrassom, bastante comum nas clínicas de obstetrícia. Entre 12 e 14 semanas de gestação, é possível ouvir o coraçãozinho com outro equipamento, o sonar Doppler. Há ainda um terceiro aparelho, o estetoscópio Pinard, que registra os batimentos cardíacos entre a 20ª e a 22ª semana.

11. Com quantos meses posso saber o sexo do bebê?
O mais comum é saber o sexo da criança na 16ª semana com o uso do ultrassom, embora existam exames mais específicos, que permitem descobrir isso antes, já a partir do segundo mês de gravidez.

12. Meu bico é invertido. Posso amamentar mesmo assim?
Os mamilos invertidos dificultam, mas não impedem a amamentação. Normalmente, a criança abocanha o bico e a aréola (área mais escura do seio) na hora de mamar. O que acontece é que a ausência de uma saliência pode complicar a chamada “pega correta” e atrapalhar o mecanismo de sucção. Mas existem soluções para esse impasse. O médico poderá indicar à mãe exercícios locais específicos, feitos com os dedos, para retomar a protrusão dos mamilos. Excepcionalmente, existe ainda a possibilidade de uso dos bicos “intermediários” de silicone macio. Em alguns casos, pingar um pouco de leite na região do mamilo também pode ajudar a estimular a criança a sugar com mais intensidade, compensando a ausência do bico.

13. Meus seios estão doloridos e às vezes esguicham leite. Devo me preocupar?
Mesmo não sendo muito frequente, isso é normal, principalmente no último mês de gestação. Portanto, não se preocupe. Esse é só mais um sinal de que você está pronta para alimentar seu filho. Procure apenas ser mais delicada ao tocar os seios, para evitar a dor, e limpe com um papel do tipo toalha ou lenço o leite que esguichar. Importante: nesta fase, não se deve retirar o leite com sugadores, o que estimularia a produção de leite e intensificaria a drenagem.

14. Posso passar creme contra estrias nos seios?
Pode e deve, pois a superfície dos seios é uma área bastante propensa a desenvolver estrias. O cuidado que deve ser tomado é nunca passar o produto sobre a aréola nem sobre o mamilo.

15. O óleo de amêndoa é suficiente para evitar o surgimento de estrias?
É impossível prever ou prevenir o surgimento de estrias com 100%o de eficácia. Agora, o uso de produtos hidratantes, como é o caso do óleo de amêndoas, pode ajudar, sim, a preveni-las.

16. Quando vou começar a sentir o bebê mexer?
Gestantes de primeira viagem costumam sentir os movimentos fetais a partir da metade da gravidez, o que significa quatro meses e meio, ou 20 semanas. As que já engravidaram antes costumam perceber esses movimentos mais cedo, em geral em torno dos quatro meses.

17. Como vou saber que meu bebê está mexendo? Qual é a sensação?
Converse com outras mães. Só quem já engravidou consegue descrever a sensação com detalhes: inicialmente são como pequenos tremores na barriga, que aumentam de intensidade até a sensação de verdadeiros chutes dentro do abdômen.

18. Como calculo a semana de gestação?
Simples. Faça a contagem a partir do último dia da menstruação e considere que a gravidez tem 280 dias, ou 40 semanas. Mas não misture o cálculo das semanas com o dos meses. Isso porque quatro semanas tem 28 dias, e não um mês.

19. Sinto muita cãibra. O que faço?
Alguns acreditam se tratar de um desequilíbrio na quantidade de sais minerais circulantes no sangue, principalmente fósforo e cálcio. Outros alegam carência de potássio. Nada disso, porém, tem comprovação científica. O que ajuda a evitá-las, ou aliviá-las, são massagens nas pernas, nos tornozelos e nos pés, assim como movimentos de flexão e extensão dos pés e suas articulações (artelhos).

20. Se eu sinto alguma dor, o bebê também sofre?
Não há nenhuma relação entre suas dores, sejam elas de cabeça, de barriga ou outras, e o bebê.

21. O que faço para evitar a anemia? Isso pode prejudicar meu bebê?
É importante ingerir alimentos ricos em ferro e ácido fólico, como brócolis, carne vermelha, tomate e espinafre. Mas só isso não é suficiente. Isoladamente, esses nutrientes não suprem durante a gravidez a enorme demanda por ferro, cuja deficiência é a principal causa de anemia na gestação. Para preveni-la, é preciso incorporar na dieta os suplementos alimentares de ferro, ácido fólico e outros elementos nutricionais (em forma de cápsulas) já a partir do segundo trimestre de gestação e prosseguir com a reposição até o aleitamento materno. Sempre com supervisão médica.

22. Estou com dor de dente. Posso ir ao dentista normalmente?
Não só pode como deve. Cáries e gengivites são mais comuns em gestantes. Isso acontece em função das alterações que a produção dos hormônios da gravidez promove nas gengivas, tornando-as foco de eventuais – e particularmente indesejáveis nesta fase – infecções bucais.

23. Quantos quilos posso engordar?
O ganho de peso é extremamente importante durante a gravidez, mas é preciso regular a fome de leoa que se inicia no segundo trimestre. Vale a pena procurar a orientação de um nutricionista. Mesmo porque o regime de engorda na gestação deve ficar entre nove e 12 kg, com variações para mais ou para menos, conforme o IMC (Índice de Massa Corpórea) da mulher antes de engravidar.

24. Tenho fator Rh positivo, e meu marido, negativo. Há algum problema nisso? Nenhum problema. A isoimunização Rh, também conhecida como doença hemolítica perinatal, que gera uma reação imunológica da mãe contra o feto, pode acontecer justamente se a situação for contrária: gestante Rh negativo, e marido e bebê, Rh positivo. Nesse caso, a mãe pode produzir anticorpos contra o fator Rh presente no sangue do feto, na gestação ou no parto. Mas isso quase não acontece mais, tornou-se uma condição perfeitamente evitável. Basta a aplicação de um soro especial (a imunoglobulina anti-Rh), hoje realizada na 28ª semana de gestação e até 72 horas antes do parto, conforme a orientação do obstetra.

25. Posso carregar meu outro filho no colo?
Melhor evitar. Sem nenhum impedimento clínico, você poderá carregar uma criança leve e pequena sem problemas. Mas procure delegar essa função para outras pessoas sempre que possível. Até porque você irá se cansar com mais facilidade. Pegue-a no colo quando estiver sentada, evitando carregá-la enquanto caminha.

26. Meu marido faz uso de drogas, principalmente maconha e cocaína. Isso pode fazer mal para o bebê que estou esperando?
Sem dúvida. Ele é um risco potencial para a gestante. Primeiro porque o dependente de drogas, ilícitas ou álcool, costuma ter comportamentos de risco, podendo se infectar com os mais variados agentes microbianos (HIV, hepatite, sífilis e por aí vai) e transmiti-los à gestante e ao bebê. Além disso, viciados são mais suscetíveis a desequilíbrios emocionais e doenças psíquicas, o que pode se traduzir em violência, falta de apoio à mulher, reclusão social e outras situações pouco saudáveis para eles e às pessoas que os circundam. Fale sobre isso com seu médico.

27. Estou no final da gestação e muito ansiosa. O que posso fazer para me acalmar? Minha ansiedade pode acelerar o parto ou fazer mal para o bebê?
A ansiedade faz parte da gestação, principalmente quando o parto se aproxima. Manter o equilíbrio emocional é o melhor remédio. Mas, se for realmente necessário, alguns medicamentos ansiolíticos podem ser usados. Claro, com a orientação de seu obstetra. Em relação à aceleração do parto, esqueça. Ela independe do grau de ansiedade da mãe.

28. Estou muito inchada. Devo me preocupar? O inchaço é muito comum no final da gestação, especialmente nos membros inferiores. Agora, se ele acontece de forma generalizada, pode indicar problemas graves, como uma doença hipertensiva específica da gravidez chamada pré-eclâmpsia. Portanto, nessas circunstâncias, procure seu obstetra o mais rápido possível.

29. Quando é feito o exame de toque?
O toque vaginal pode ser feito em qualquer consulta. Esse procedimento permite que o médico avalie as condições do seu colo de útero. Salvo casos excepcionais, como hemorragias genitais não esclarecidas, não há a contraindicação para a sua realização.

30. Tenho tido muitas dores nas costas. O que posso fazer para aliviá-las?
Massagens são bem-vindas desde que realizadas por profissionais habilitados para o serviço. Lembre-se de que a coluna vertebral é bastante sobrecarregada durante a gestação. Se as dores forem insuportáveis, pode-se ainda utilizar analgésicos. Mas, diante de um quadro de dor persistente, é importante averiguar se não há nenhum problema de coluna mais grave.

31. É normal ter corrimento na gestação?
Muito comum. Durante a gestação, sobretudo nas semanas finais, os hormônios fazem com que a descarga vaginal aumente consideravelmente. Procure apenas monitorá-la. É que esses corrimentos favorecem infecções. Por isso, diante de desconforto, irritação, coceira ou odor desagradável, marque uma visita ao ginecologista.

32. O que faço para reduzir a azia?
Procure fracionar sua alimentação. Ou seja, coma menos quantidades mais vezes. Evite gorduras e prefira alimentos de fácil digestão, como cereais, frutas, verduras e legumes.

33. Meu marido é gêmeo. Existe alguma possibilidade de eu ter filhos gêmeos?
Certamente. As chances aumentam quando um dos pais tem irmã(o) gêmea(o) ou há casos na família.

34. É normal fazer muito xixi e o tempo todo?
Dentro de alguns limites, é absolutamente normal. Tome como referência o seu padrão de idas ao banheiro e considere um aumento natural delas durante a gestação motivado por questões hormonais e físicas. Fique atenta apenas ao cheiro forte e a quantidades muito exageradas de xixi, pois podem indicar infecção ou diabete gestacional.

35. Não consigo evacuar. Existe solução para isso? Posso tomar algum remédio?
A primeira recomendação é ingerir fibras, muitas fibras, e água. Atividade física de baixa intensidade também é recomendável. Se não funcionar, seu médico pode indicar remédios laxativos naturais, que podem ser diluídos em água ou suco.

36. Tenho me sentido triste. Sempre quis ser mãe. Por que estou me sentindo assim?
Um dos efeitos colaterais da enxurrada hormonal da gravidez é justamente uma melancolia passageira, rápida e contornável. Não se preocupe com ela. Agora, se for depressão pós-parto, a situação muda. Nesse caso, é preciso uma avaliação médica. Dependendo da intensidade, ele pode indicar medicação e até internação

37. Até quando posso dirigir?
A mãe corre riscos desnecessários ao dirigir durante o último trimestre da gestação. Nesta fase, ela perde alguns de seus reflexos e passa a enfrentar mais dificuldade para executar movimentos bruscos e rápidos. Por isso, o bom senso manda que as gestantes larguem a direção à medida que o parto se aproxime.

38. Estou sentindo um pouco de faltar de ar. É normal?
Sim, é normal. A gravidez provoca o aumento natural tanto dos batimentos cardíacos quanto da respiração. Isso acontece porque a presença do bebê, além de sobrecarregar o coração e o pulmão da mãe, leva ao aumento do volume abdominal, empurrando o diafragma para cima e criando a situação de falta de ar.

39. Posso dormir de barriga pra baixo?
Dormir de bruços é uma postura inadequada para qualquer pessoa. Mas, durante o primeiro trimestre da gravidez, deitar-se sobre a barriga não causa problemas ao feto. Depois disso, quando o abdômen já está mais saliente, a mulher não deve dormir nessa posição. Na verdade, nem que ela queira se sentirá à vontade para fazê-lo.

40. Estou sem vontade de me relacionar sexualmente com meu marido. Isso é normal?
A eventual falta de apetite sexual deve ser encarada como uma resposta natural do corpo da mulher diante de uma nova situação. A grande quantidade de hormônios, a ansiedade que alguns casais apresentam em torno da saúde do bebê e a dificuldade de se movimentar quando o abdômen já está muito volumoso ajudam a explicar esse desinteresse provisório

41. Se eu tiver relações sexuais, meu bebê pode ser prejudicado?
Em condições normais, o sexo pode ser praticado em qualquer fase da gravidez sem nenhum malefício para o bebê. O ideal é que ele aconteça de acordo com os hábitos dos casais. Somente diante de situações especiais, como hemorragias e ameaça de parto prematuro, a mulher deve interromper suas atividades sexuais.

42. Às vezes, minha barriga coça demais. O que é isso?
O estiramento da parede abdominal pode causar comichões, mas é importante o acompanhamento médico para avaliar as alterações de pele.

43. Estou sentindo muita preguiça e sono. Tudo bem? A gestante está inundada em progesterona, e isso determina uma série de alterações em seu organismo, entre as quais o aumento do sono e a preguiça. Faz parte!

44. De quanto em quanto tempo posso fazer um ultrassom?
A mãe deve fazer o ultrassom, no mínimo, três vezes durante a gestação. Em média, as mulheres repetem o exame cinco vezes. Mas, em casos de gravidez de alto risco, o médico pode pedi-lo mensal ou quinzenalmente.

45. Quais as chances de eu ter um bebê com síndrome de Down?
Mulheres com idade avançada têm mais chance. Aos 20 anos, o risco é de um para 2 mil. Aos 35, chega a um para 200. Isso se deve ao aumento da proporção de óvulos com conteúdo genético alterado. Ou seja, a quantidade de óvulos sem alteração genética disponíveis para fecundação cai com o passar dos anos.

46. Posso tomar alguma bebida alcóolica durante a gestação?
A grávida pode fazer um brinde, mas não é aconselhável ingerir bebida alcoólica em grande quantidade. É totalmente contraindicado e perigoso o uso sistemático e diário de álcool. Dois copos pequenos de cerveja ou um cálice pequeno de vinho por dia é a dose máxima aceitável.

47. Até quantas semanas uma gestação pode ir?
O tempo previsto é de 40 semanas. Há médicos que esperam até 42, mas o limite deve ser 41. O envelhecimento da placenta pode comprometer tanto a circulação do sangue como a troca de nutrientes entre o bebê e a mãe. Essa situação é arriscada para a criança. Para a mulher, o problema seria apenas o tamanho do bebê.

48. Como sei que estou entrando em trabalho de parto?
Quando começam as contrações. O abdômen endurece e você sente dores por entre 30 e 40 segundos a cada cinco minutos. Parece cólica. Outro sinal é o rompimento da bolsa, que causa uma molhadeira daquelas. Vá para a maternidade também se o bebê passar a se mexer menos que o habitual.

49. Como saber se há dilatação?
A mulher não tem como saber. Somente um exame clínico é capaz de revelar se há a dilatação.

50. Quanto tempo depois de a bolsa estourar o bebê nasce? Depende da dilatação e da idade gestacional da criança. Quanto menor o bebê, mais rápido é o parto. É claro que o médico deve monitorar a situação para evitar infecções. Mas, em geral, o bebê nasce até 18 horas após a bolsa estourar.

sábado, 30 de outubro de 2010

Decorando seu chá de bebê ou de fralda

Decoração com tema azul (Crédito: BabyWiseGuides)
A decoração é um elemento essencial de um chá de bebê (ou de fralda) bem sucedido. Um ambiente decorado adequadamente ajudará para que todos entrem no clima de descontração e alegria do evento.

A decoração deve ser de acordo com o estilo da mamãe ou seguir o tema usado no quarto do bebê.

Quanto às cores, é recomendável que se use apenas uma ou duas para decorar o ambiente. Dessa forma, você terá uma decoração bem leve, que é o mais recomendado para esse tipo de festa. Você pode escolher as cores de acordo com o enxoval do bebê, ou seguir o tradicional “azul e branco para menino, rosa e branco para menina”, preferindo tons pastéis. Evite o "super colorido".

A decoração ganha um charme especial com balões. Uma boa dica é amarrar um fitilho (aproximadamente 50cm) na boca do balão já cheio e, com o auxílio de fita adesiva dupla face, fixar o balão no teto. Pode-se colocar balões também sobre a mesa do bolo e/ou sobre a mesa de lembrancinhas. Dessa forma você terá uma decoração bem leve, simples, fácil de fazer e de baixo custo.

Em lojas de artigos de festa podem ser adquiridos balões metalizados no formato de mamadeira, cegonha e outros relacionados ao tema. Eles também podem ser utilizados para incrementar a decoração dando um toque de graciosidade a mais, mas não exagere.

Você também pode utilizar flores para decorar o local. Invista em margaridas, rosas ou tulipas, elas são encontradas de diversas cores e tem um valor acessível. Na mesa do bolo, coloque um belo vaso de flores em uma das extremidades da mesa e deixe outras espalhadas sobre a mesa. 

Como centro de mesa dos convidados, coloque um pequeno vasinho com três ou quatro flores, ou monte um arranjo com flores fixadas em espuma floral. Envolva a espuma com celofane e finalize com um belo laço.

Muitas mamães de todo o mundo têm optado por fazer o chamado “bolo de toalhas” ou “bolo de fraldas”, uma ideia divertida que já conquistou muita gente. Esses bolos podem ser decorados conforme o tema e as cores da festa, e as possibilidades são infinitas: fitas coloridas, flores, chupetas, laços, sapatinhos de bebê, ursinhos de pelúcia, é só deixar a imaginação voar!

Bolo de fraldas e toalhas (Crédito: PersonalCreations.com)

Para quem prefere algo diferente, existem alternativas ao formato de bolo tradicional: que tal substitui-lo por uma banheira cheia de fraldas e decorar com patinhos de borracha, toalhinhas e produtinhos de higiene infantil? Essa é uma opção mais simples e rápida de montar.

Banheira de fraldas (Crédito: Pinterest)

Na mesa do bolo também podem ficar as lembrancinhas que serão entregues no final da festa e um caderno decorado para que os convidados deixem mensagens de boas-vindas para o bebê.

Além da mesa de comes e bebes, pode-se montar uma mesa de suporte, onde ficarão etiquetas ou crachás com os nomes de participantes (se os convidados não se conhecem), papel, tesouras, canetas, lápis, cartolinas, prêmios entre outros materiais necessários nas brincadeiras.

Se a grávida vai ganhar ou já tiver um chiqueirinho (cercadinho) ou carrinho, este poderá ser montado no local da festa para os convidados deixarem seus presentes. Se preferir, utilize uma caixa de papelão grande, enfeitada com motivos infantis. Esta dica é válida principalmente para casos quando a festa acontece num lugar fora da residência dos futuros pais, pois assim todos os presentes poderão ser levados de uma vez só.

Outra sugestão muito interessante para decoração é montar um painel na parede com cartolinas, contendo informações curiosas sobre os pais e sobre a gravidez. Colar algumas fotos e escrever fatos sobre o namoro, o casamento, cópia do exame de gravidez, tabela de crescimento da barriga, foto do ultra-som, etc.

Músicas infantis ajudam na animação. Dê preferência para músicas consagradas, como cantigas de roda, tipo: ciranda cirandinha, samba lelê, etc. Separe os CDs antecipadamente e verifique se seu aparelho de som consegue tocá-los.

domingo, 24 de outubro de 2010

10 etapas para a organização de uma festa infantil

Aqui vão algumas dicas para facilitar a organização da festa de sua criança:

1. Plano da festa
O primeiro passo é planejar a festa. Converse com seu filho(a) e descubra que tipo de festa ele gostaria. Então verifique se o seu orçamento, criatividade e energia comportam este desafio. Se a resposta for não, faça uma adaptação conforme suas possibilidades.

2. Lista dos convidados
Decida se a festa será apenas para os amiguinhos de seu filho ou se estará aberta aos irmãos ou pais dos convidado. Tenha em mente que aproximadamente 15% dos convidados não comparecerão. Distribua os convites com pelo menos 15 dias de antecedência.

3. Definir data e horário
Final de semana: geralmente têm maior número de pessoas, pois é normal que os pais e irmãos venham juntamente com os convidados (caso o convite não explicite que a festa será exclusivamente para os amiguinhos de seu filho).

Se você decidir por um buffet infantil, aos finais de semana os preços normalmente são mais altos (devido a uma maior procura). Muitos pais escolhem o fim-de-semana acreditando que a freqüência será maior, mas isso nem sempre é verdade, já que os convidados podem ter outros compromissos e viagens agendadas.
Em relação ao horário, nos buffets ele é dividido em dois períodos: horário de almoço, geralmente das 12h às 16 ou 18h, e horário da noite, com início entre 18h e 19h.

No horário de almoço é imprescindível um prato quente além do coquetel, e à noite, conforme o perfil dos convidados, o prato quente é opcional.

Durante a semana: se a festa for à tarde, conta-se com um menor número de convidados presentes, pois os irmãos dos convidados muitas vezes têm outras atividades programadas e os pais que trabalham geralmente não podem comparecer. Porém, se a festa for à noite, a frequência será quase a mesma de uma festa de fim-de-semana, já que a maioria dos pais e irmão dos convidados estará disponível (muitos pais gostam do fato de poder ir para a festa após o trabalho, sem ter que se preocupar com o jantar).

Não deixe de pechinchar: os buffets infantis oferecem várias opções para festas durante a semana em virtude da procura ser menor. Você pode optar por fazer uma festa completa (para adultos e crianças) ou mais econômica (apenas para crianças, no período da tarde), sendo que os pacotes para esta última podem chegar à metade do preço normal, e o mais interessante é que seu filho vai desfrutar de todos os brinquedos e estrutura do buffet, pois a única diferença é no cardápio. Estas são as chamadas “FESTAS ESCOLARES".

4. Definir o local
Se deseja fazer a festa num buffet, é importante definir o local com pelo menos 3 meses de antecedência. Verifique se se o local tem condições para receber as crianças convidadas. A escolha deve levar em conta: a localização, o acesso, o estacionamento para os convidados, as instalações (hidráulicas, elétricas e sanitárias) a luminosidade, a segurança (de maneira geral), a acústica e a aparência (o visual do local). Ao fazer a locação do salão de festas, atentar para os detalhes que estão registrados no contrato de locação, para evitar surpresas futuras na hora de fazer a entrega do salão (devolver o salão).

Conferir atentamente tudo aquilo que está sendo locado (ou liberado para o uso) e, de preferência deixar alguém responsável para fazer o check-list do recebimento e da devolução do salão e ou dos acessórios/equipamentos locados.

Fique sempre atento(a) a todos os itens registrados no contrato (as cláusulas devem ser bem claras e de fácil entendimento). Já é uma prática de mercado a exigência de Cheque-caução para garantir o acerto final da contratação e inibir a possibilidade de danificação dos bens locados.

Se pretende fazer a festa em casa, deve verificar a disponibilidade de data se for utilizar o salão do condomínio (caso more em prédio) e prepare-se, pois terá muito mais trabalho pela frente, o que tornará a festa mais gratificante para quem a organiza, além do custo ser menor.

Caso a festa se realize na escola, peça informações na secretaria para saber se existe algum tipo de restrição a data, horário, duração, alimentação, decoração, se poderá contratar profissionais para o entretenimento, etc.

As chamadas “FESTAS ESCOLARES” costumam ser as mais econômicas. Nelas, seu filho e seus coleguinhas saem direto da escola e vão para a festa. Mas lembre-se de que os pais da criança aniversariante devem organizar e se responsabilizar pelo transporte de todas as crianças para o local da festa com total segurança, ficando a cargo dos pais dos convidados apenas buscá-los ao término da festa. Este tipo de festa é recomendado a partir dos 5 anos de idade.

Festa na escola (Crédito: Pinterest)

5. Contratação de pessoal:
Defina o tipo de animação que a festa terá: palhaços, monitores, teatro, brinquedos infláveis, piscina de bolinhas, etc. Muitas vezes o próprio buffet oferece o serviço, os brinquedos e os profissionais.

Caso a festa seja realizada em casa ou na escola, procure uma empresa de confiança e contrate com antecedência profissionais desejados e alugue os brinquedos.

Aproveite para contratar também o serviço de fotografia e filmagem, e os garçons, caso necessário.

6. Escolher o tema e a decoração da festa:
O tema deve estar relacionado com a idade do aniversariante. Será necessário verificar se o personagem escolhido está disponível, pois se for um tema novo, podem não haver opções no mercado. Não deixe a escolha do tema para a última hora. O ideal é fazer a reserva da mesa temática com uma antecedência de 90 dias, para não correr o risco de não conseguir fazer a locação do tema desejado ou de acordo com os convites e lembrancinhas que eventualmente já foram encomendados.

Dependendo da idade, quem escolhe o tema são os pais (crianças de 1 (um) até 2 (dois) anos). Se o seu filho ainda não consegue definir o tema preferido, leve em conta os desenhos, brinquedos e personagens infantis que ele mais se interessa. É importante que a criança se identifique com o tema, para que no dia ela fique mais à vontade até mesmo para as fotos, pois a recordação será para sempre.

7. Defina o que será servido:
Deve-se atentar bem para os cuidados de higiene, acomodação, refrigeração e de segurança alimentar. Escolher a comida preferencialmente de acordo com horário e as condições climáticas, devido à sensibilidade de alguns ingredientes ou da mistura destes.

Os buffets geralmente orientam bem sobre a melhor escolha e a quantidade ideal de cada alimento. Não se esqueça de perguntar como será feito caso comparecerem mais convidados que o esperado.

Se a festa for feita em casa, providencie a quantidade de salgados, doces, etc conforme o número de convidados (consulte a tabela abaixo). O bolo e os doces são componentes de destaque da festa. Além de saborosos, devem ser bonitos e criativos. Existem muitos profissionais ou confeitarias que fazem doces modelados com os personagens do tema da festa. Da mesma forma, o bolo pode ser feito com formato ou até com uma foto relacionada ao tema. Caso você mesma for fazer o bolo e não tenha muita experiência confeitando, procure saber sobre a decoração com papel de arroz: um papel comestível colocado sobre o bolo, com o desenho ou foto que você desejar, fica lindo!

Independente do local, se a festa tiver início no horário de almoço (entre 11 e 14h), é imprescindível um prato quente além dos salgadinhos, doces e bolo. À noite, o prato quente é opcional, conforme o perfil dos convidados. Entretanto, recomendamos que se sirva ao menos um prato quente nas festas realizadas à noite durante a semana, pois muitos convidados sairão do trabalho e irão direto para sua festa, e só os salgadinhos podem deixar a desejar, mas de qualquer forma, fica a seu critério.

Se a festa ocorrer no horário do almoço ou jantar, devem estar previstas 2 situações:
a) Oferecer uma refeição, em geral, uma massa com opção de molho ou duas massas cada uma
com um molho diferente e uma salada simples e também salgados durante o resto da festa;
b) Oferecer salgados variados em quantidades maiores que o normal.
Se a festa ocorrer à tarde:
a) Oferecer salgados variados.

Tema: jardim

8. Defina a quantidade do que será servido:
- Festa à tarde:
CRIANÇAS:
5 salgados
5 doces
4 copos pequenos de refrigerante
ADULTOS:
10 salgados
8 doces
5 copos pequenos de refrigerante

- Festa em horário de refeição:
CRIANÇAS:
1 prato de massa ou outro
3 salgados
4 doces
4 copos pequenos de refrigerante
ADULTOS:
1,5 pratos de massa ou outro
4 salgados
5 doces
5 copos pequenos de refrigerante

Quantidade de opções de salgados: 4 a 6
Quantidade de opções de doces: 3 a 4
Quantidade de opções de bebidas: 3 (2 refrigerantes e água)

A duração da festa conta muito! Em uma festa que dura mais de cinco horas, espera-se que as pessoas comam e bebam muito mais!

- Em geral, os jovens comem mais do que as pessoas mais velhas e os homens comem mais do que as mulheres.
- Se houver coquetel precedendo o almoço ou jantar, as pessoas comerão menos do prato principal.
- Se o prato principal for fraco, ou não agradar, a sobremesa vai ser mais consumida.
- Se houver muitos docinhos, os convidados comerão menos bolo.

9. Planeje o roteiro da festa:
A festa dura em média 3 a 5 horas. Considere que quase ninguém chega no horário marcado, com a excepção do tipo de festa realizada diretamente na escola.

A primeira etapa é a das brincadeiras, se houver monitores e/ou disponibilização de brinquedos (piscina de bolinhas, cama elástica, jogos diversos, etc).

A próxima etapa será a da apresentação do teatro ou qualquer outro serviço contratado (palhaços, teatro, mágicos, etc). Lembre-se de que o tipo de animação deve estar diretamente relacionado com a idade do aniversariante e dos convidados. Por outro lado, é sempre importante ter música no evento, como forma a agradar a todos.

Por fim, a etapa do“parabéns”. Depois, os convidados começam a se despedir e aí, geralmente, faz-se a entrega das lembrançinhas e o ogradecimento pela presença.



10. Como conduzir o pós-festa
A festa acabou e você está exausta. A vontade é de abandonar tudo e ir descansar. Se a festa foi em casa, você pode deixar a arrumação para o dia seguinte. Entretanto, se a festa se deu em um buffet, há geralmente uma cláusula no contrato que prevê a entrega do ambiente em perfeitas condições. Infringir essas regras poderá gerar transtorno posteriores. Uma boa estratégia é contratar alguém para fazer o "pós-festa", ou seja, se encarregar da organização do local conforme o combinado no contrato.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Batizado católico e apresentação em igreja evangélica

Batizado católico:

Para os pais católicos, o dia do batizado é um dos momentos mais esperados. Tudo começa a ser organizado logo após o nascimento do bebê.

A escolha dos padrinhos
É importante que o padrinho e a madrinha sejam cristãos, dispostos a guiar os passos do seu afilhado seguindo os ensinamentos de Deus. Opte por pessoas que você de fato tenha afinidade, consideração e amizade.

Local da celebração
Escolha a igreja em que pretende batizar o seu bebê e reserve a data. Escolha uma que seja aconchegante e preferencialmente próxima de sua residência. É recomendável visitar mais de uma igreja. Obtenha informações sobre o horário das cerimônias (em dias muito ensolarados o calor pode incomodar o bebê, verifique se o local tem uma boa ventilação).

Verifique a possibilidade de fazer o batismo individual ou coletivo
As igrejas geralmente realizam batizados coletivos. As cerimônias costumam ser sempre muito bonitas e cheias de bebês e crianças. No entanto, quando temos uma família grande, ou muitos amigos, nem sempre existe espaço para todos com conforto.
Nesse caso os batizados individuais acabam sendo uma boa opção. São mais íntimos e tranqüilos. Pergunte sobre o número de crianças presentes no batizado coletivo (ambientes muito cheios podem deixar a criança irritada)

Curso para padrinhos
A Igreja Católica recomenda que os padrinhos façam um curso onde eles são orientados sobre o significado do batismo e dos padrinhos na vida da criança. Algumas paróquias exigem a realização desse curso, enquanto em não há essa obrigatoriedade.

A roupinha do batizado
Reza a tradição que a madrinha ofereça a roupa do bebê, mas isto pode ser um acordo feito entre ambas (mãe e madrinha). A roupa usada pela criança no dia do batizado católico deve ser na cor branca, pois o branco simbolizaria a pureza, sendo sinal de uma nova vida. O mandrião é o modelo mais tradicional, trata-se de um longo vestido branco que pode ser usado tanto por meninos como por meninas.

Não sendo possível usar cor branca procure uma roupa de cor bem clarinha. Para a cerimônia do batizado será necessário uma toalha pequena, branca, para enxugar a cabeça do bebê na pia batismal e uma vela branca.

Príncipe George da Inglaterra usando mandrião
de renda em seu batizado (Crédito: Pinterest)

O convite
O convite deve ser preparado com antecedência de no minimo 20 dias, contendo hora, data e local do batismo. Os convites devem ter motivos que lembrem o tema da cerimônia.
As lembrancinhas
Tal como no nascimento cabe a mãe preparar lembrancinhas para oferecer aos padrinhos e convidados.
Sugestões: ímãs de geladeira e chaveiros com tema infantil, sachês perfumados, marcadores de livro personalizados, latinhas com doces, caixinhas decoradas e recheadas com guloseimas, vasinhos com flores de tecido, lápis com ponteira decorada, bombons, cupcakes, etc.

Decoração e recepção
Você pode escolher um tema para decorar o ambiente, como tulipas, por exemplo; fica delicado e tem tudo a ver com o momento. Os balões são sempre bem-vindos. Caso deseje um ambiente mais festivo, opte por uma combinação bem colorida; para criar um ar mais leve e "etéreo", opte por combinações de branco (predominante) com alguma outra cor bem clarinha, como azul ou rosa bebê.

Ofereça um almoço logo após a cerimônia. Sirva dois tipos de carne ou torta salgada, arroz, salada ou salpicão, suco de fruta, refrigerante e pelo menos dois tipos de sobremesa.

No fim da tarde é mais recomendado servir um chá para seus convidados com: biscoitos, torradas, pães, geléias, patês, frios variados, torta doce e salgada, bolos, chá, café, sucos, refrigerante e água mineral.

Fotos e filmagem
Eternize esse momento fazendo filmagem e muitas fotografias no momento da cerimônia e da recepção para os convidados.



Apresentação na Igreja Evangélica:

O fundamento da apresentação nas igrejas evangélicas está nas Sagradas Escrituras, onde não há nenhum ensinamento ou exemplos sobre batismo de crianças. Conforme ensinamento do Novo Testamento, o candidato ao batismo deve ter se arrependido de seus pecados (Atos 2:38), e ter crido em Jesus Cristo (Atos 8:37). Aqueles que ainda não podem fazer o uso completo da razão não estão em condições de cumprir esses dois requisitos. As crianças seriam um exemplo.

Por outro lado, as Escrituras ensinam acerca da apresentação pública das crianças a Deus, durante a qual agradecemos ao Senhor pela vida da criança, consagrando e confiando sua vida a Ele. Quando assim procedemos, estamos seguindo a prática admitida pela Igreja de todos os tempos. Não é o batismo em água, e sim uma dedicação da criança a Deus, uma ação de graças e de fé, um clamor pela bênção divina.

A apresentação de crianças geralmente ocorre durante o culto normal, sendo muitas vezes coletiva. Cabe aos pais procurar o pastor ou representante de sua igreja e expor seu interesse em consagrar seu filho, marcando a data e esclarecendo quaisquer dúvidas.

Normalmente, não há qualquer custo ou necessidade de maiores preparativos, mas na maiorira das vezes, os pais devem antes passar por um curso preparatório dado na própria igreja.

A escolha de padrinhos e madrinhas não apresenta fundamento bíblico, não sendo, portanto, uma prática tradicional nas igrejas evangélicas, mas tem se tornado mais comum nos últimos anos, provavelmente devido à influência da tradição Católica. De qualquer forma, o ideal seria consultar a sua igreja e caso ela aceite tal prática, a decisão deve caber aos pais.

Após definir a data e o horário da cerimônia, cabe aos pais providenciar e distribuir os convites com pelo menos 15 dias de antecedência. Neles deve constar a data, local e horário da cerimônia assim como da recepção, caso se vá realizar uma. 

Caso queira uma recepção mais simples, pode-se consultar os responsáveis acerca da utilização das dependências da própria igreja. Caso esteja planejando algo mais elaborado, como um almoço ou jantar, a recepção poderá ser realizada na casa dos pais ou em um salão de festas alugado para a ocasião.

Recepção (Crédito: Pinterest)

A decoração do ambiente e o buffet devem ser de acordo com o horário, seguindo as mesmas orientações para o batizado católico.

Não se esqueça de eternizar o momento, escolhendo com antecedência o encarregado pela filmagem e fotografia.

Não há qualquer restrição quanto à roupinha usada pela criança, que deve ser confortável e de acordo com o clima da época.

Outro detalhe importante mas muitas vezes ignorado é a distribuição das lembrancinhas, que deve ocorrer ao fim da recepção. Existem inúmeras opções lindas, como sachês perfumados, ímãs e chaveiros com tema infantil, bombons, cupcakes (mini-bolos decorados), mini-bíblias, marcadores de livro com versículo bíblico, latinhas com doces, caixinhas decoradas e recheadas com guloseimas, vasinhos com flores de tecido, lápis com ponteira decorada, etc. 

Atenção: cuidado para não escolher lembrancinhas com motivos católicos, como cruz, água benta, imagens de santos, etc.

sábado, 9 de outubro de 2010

Como organizar seu chá de bebê ou chá de fralda

Mesa de chá de bebê (Crédito: CatchMyParty.com)
1) Um ou dois meses antes:

- Planeje o cardápio;

- Crie a lista de convidados. Hoje em dia o pai do bebê e os amigos homens também podem fazer parte das listas de convidados e desta forma diversificar as brincadeiras e aumentar o número de presentes;

- Determine o orçamento (que tipo de festa quer fazer e quanto está disposta a gastar);

- Decida sobre a data e local. O ideal é que o chá de bebê seja combinado para um final de semana durante a tarde, para que todos possam comparecer;

- Decida sobre o tema da festa e a lista de presentes; no caso de chá de fraldas, determine a quantos pacotes cada convidado deverá trazer, a marca e o tamanho de fralda desejado;

- Providencie os convites, determine o que cada convidado deve levar (quantidade, cor, marca e tamanho).
Quando houver mais de um convidado que resida na mesma casa, como mãe e filha ou duas irmãs, por exemplo, não fique constrangida em pedir um presente para cada uma, separadamente.

- Entregue o convite em mãos, pelo correio ou através de internet.

- Caso prefira convites impressos, dê preferência àqueles personalizados com seus dados, feitos especialmente para você.


2) Duas ou três semanas antes:

- Providencie os balões e outros itens de decoração;

- Providencie os pratos, copos, toalhas de mesa, etc;

- Encomende o bolo, doces e salgadinhos e bebidas. Caso você mesma seja a encarregada da preparação dos alimentos, planeje o cardápio;

- Verifique a disponibilidade de mesas e cadeiras, que deverão ser suficientes para todos os convidados;

- Pense como vai divertir os convidados e em algumas surpresas. Que jogos e atividades você vai realizar e, de acordo com as atividades escolhidas, ver a disponibilidade dos materiais e itens necessários, onde serão adquiridos ou emprestados.


3) Uma semana antes:

- Confirme a presença de convidados (caso utilize convite online, você não terá de se preocupar com isso, pois estes convites oferecem ferramenta de RSVP);

- Se a festa será realizada em casa, pode começar a limpar o lar sob seu critério, retirar e guardar as coisas desnecessárias;

- Separe os CDs antecipadamente. Certifique-se que todos os equipamentos funcionam e você (ou a pessoa responsável) sabe usá-los;

- Caso for preparar os alimentos, providencie os ingredientes necessários e as bebidas;

Chá de bebê em ambiente externo (Crédito: Baby.SomethingPrimary.com)

4) Um dia antes:

- Comece a preparar os alimentos a serem servidos, caso não os tenha encomendado. O bolo e os docinhos podem ser feitos dois dias antes da festa, já que consomem bastante tempo. Não se esqueça de manter tudo bem fechado e refrigerado para uma melhor conservação;

- Verifique se as baterias para câmera fotográfica e de vídeo estão carregadas, etc. Defina onde ficará filmadora, máquina fotográfica e quem será responsável pelas fotos e filmagem;

- Pense onde ficarão os presentes antes, durante e depois da festinha. Uma boa pedida é colocá-los dentro do berço ou do cercadinho do bebê, ou então dentro de uma caixa de papelão grande, coberta por papel de presente;

- Verifique a voltagem e a necessidade da extensão e prenda os cabos soltos com adesivos para prevenir que alguém tropece;

- Tenha certeza que há bastantes cadeiras, mesas para acomodar as pessoas e materiais para cada jogo;


5) No dia:

- Buscar bolo, salgadinhos, docinhos que tenha encomendado se os mesmos não foram retirados no dia anterior;

- Comprar ou preparar gelo para bebidas;

- Decorar ambiente: balões, mesas, etc;

- Pendurar os painéis, caso houver;

- Colocar lixeiras em locais de fácil acesso;

- Aproveite a festa e lembre se que o principal deste dia é que a futura mamãe esteja totalmente feliz e disposta para se divertir muito!

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Dicas sobre como escolher o nome do bebê

Olá, meu nome é...
Escolher um bom nome para o bebê não é tarefa fácil. Afinal, trata-se da palavrinha que identificará seu filho para o resto da vida, portanto é uma enorme responsabilidade!

Há incontáveis opções de acordo com o gosto dos pais: tem sempre aqueles que preferem nomes tradicionais, enquanto outros preferem algo mais moderno e original. Além disso, a influência da moda e da opinião de parentes e amigos muitas vezes complica ainda mais a tarefa. Mas não se desespere: aqui vão algumas dicas que facilitarão a escolha e ajudarão a evitar problemas futuros:

1) Procure fazer uma lista com seus nomes favoritos e peça ao seu parceiro que faça o mesmo. É bom que se tenha sempre a lista em mãos, pois a inspiração pode vir nos momentos mais inusitados.

2) Discuta ambas as listas com seu parceiro, e eliminem aqueles nomes que algum de vocês odeiam ou que remete más lembranças.

3) Diga cada um dos nomes em voz alta, acompanhado pelo sobrenome que o bebê terá; repita várias vezes, prestando atenção a possíveis onomatopeias, trocadilhos ou cacofonias. Como soa o nome completo? O nome combina com o sobrenome? Lembre-se de que nomes longos soam melhor com sobrenomes mais curtos e vice-versa.

4) Pense em todos os potenciais apelidos ligados a ele, para ver se não há nenhum "perigoso". As crianças podem ser bastante cruéis e sua criatividade para fazer brincadeirinhas (nem sempre de bom-gosto) é infinita. Vale a pena evitar nomes que possam causar apelidos ou chacotas constrangedoras na escola (por exemplo, o aparentemente inofensivo Sofia quase sempre vira "so fia da mãe", “so fia do leiteiro", “sofria”, e coisas ainda piores!).

5) Procure o significado de cada um dos nomes que restam na lista. No dia-a-dia, quase ninguém se importa com o significado dos nomes, mas para os pais, esse pode ser um fator de eliminação caso o nome tenha uma origem negativa. Além disso, um significado bem bonito pode fazer com que vocês amem o nome ainda mais.

6) Dê preferência a um nome original, que faça seu filho se destacar ao invés de ser confundido com 5 outras crianças na sala de aula. Nomes muito comuns acabam soando batidos muito rápido e fazem com que as crianças sejam identificadas pelo sobrenome, pois haverá sempre mais de uma com aquele mesmo nome em cada classe. Procure saber quais são os nomes "da moda" no momento. Você pode saber isso pesquisando na internet (alguns sites têm rankings dos nomes mais usados a cada ano). Também vale a pena dar uma investigada em escolinhas, creches e até mesmo em maternidades, para descobrir quais são os nomes mais populares. Entretanto, é melhor não exagerar e escolher um nome demasiadamente estranho ou de pronúncia muito complicada, pois isso pode acabar trazendo problemas e constrangimentos mais tarde. Uma boa dica é buscar nomes consagrados mas pouco usados atualmente (exemplos: Suzana, Amália, Frederico, Antônio, etc), variações de nomes comuns (Clarissa ao invés de Clara) ou quem sabe até nomes estrangeiros que se adaptam bem à nossa língua (como Dominique, Annabella, Henry, Kevin, etc).

7) Algumas família seguem tradições ao escolher o nome dos bebês, como como a de dar o nome do pai ao primogênito (dando origem os Júniores, Filhos e Netos), por exemplo. Se você e seu parceiro concordam com a tradição, ótimo. Se não, não permitam que familiares imponham uma escolha que não é a sua.

8) Artistas, atletas, líderes políticos e personagens de livros, novelas e filmes são uma fonte comum de inspiração, mas é preciso ter bom senso. Evite nomes icônicos, que por si só representem ideais políticos, religiosos ou culturais de uma época, pois nunca se sabe se seu filho irá concordar com o posicionamento de seu "xará".

9) Grafias incomuns podem ser um problema, pois ter de soletrar o nome o tempo todo incomoda algumas pessoas, portanto preze pela simplicidade. Uma boa estratégia na hora de decidir os sobrenomes e a grafia do primeiro nome é imaginar-se no papel de seu filho tendo de dar o nome completo a um atendente qualquer, no balcão de uma loja ou pelo telefone. Nessas horas, "menos é mais".

10) No caso de nomes compostos, sempre soa melhor escolher algo simples como Ana ou Luís para acompanhar outro mais forte, como Cecília ou Guilherme. Misturas como Eduarda Vitória ou Rafael Ricardo não costumam funcionar e um dos nomes acaba aposentado.

Fonte: htp://nomesdebebe.blogspot.com

* E você, já escolheu o nome de seu bebê? Se sim, qual é e o que te levou a fazer essa escolha? Participe e dê sua opinião!


O que pedir em cada tipo de chá

Chá de bebê:

Veja a seguir uma pequena sugestão de lista de presentes para o chá de bebê. Você pode acrescentar ou tirar itens de acordo com a sua necessidade.

- álbum de fotografia
- algodão
- babador
- babá eletrônica
- banheira
- bebê conforto
- bolsa de água quente
- colônia
- chupeta (consulte seu médico antes de pedir)
- chocalho
- creme hidratante
- curativos aderentes
- escova
- esparadrapo
- filme fotográfico ou fita para filmadora
- fraldas descartáveis (diurnas e noturnas)
- fraldas de pano
- gaze
- hastes flexíveis
- lenços umedecidos
- lençóis e fronhas
- mamadeira (apenas para aquelas mamães que não possam amamentar ao seio)
- mordedor
- pente
- pomada contra assaduras
- roupinhas (tamanho até 12 meses)
- sabonete
- saboneteira
- sapatinhos de linha ou lã
- solução fisiológica
- termômetro
- tesourinha para cortar unha
- toalhas
- xale
- xampu
A mamãe ou a organizadora da festa pode deixar a lista em uma loja ou pedir para que cada pessoa escolha o presente que dará. Desta forma, ela vai anotando o que já foi escolhido e dando as outras opções para os outros convidados. O importante é que cada uma dê o presente de acordo com as suas condições. No exemplo da lista, três pessoas podem dar um babador cada.


Chá de fralda:

Veja aqui o que pedir para sua amigas não apenas em relação às tão úteis fraldas descartáveis, mas outros produtos muito usados nas primeiras semanas e meses de vida do bebê:

- Fralda descartável tamanho P (10 Pacotes).
- Fralda descartável tamanho M (10- 11 Pacotes).
- Pomada para prevenir assaduras (2 tubos; consulte seu médico antes de pedir)
- Sabonete de glicerina (3).
- Pasta d'água (consulte seu médico).
- Xampu neutro (2).
- Fita adesiva.
- Termômetro (1).
- Escova e pente para cabelo.
- Tesoura para cortar unhas.
- Pagotes de Algodão.
- Lenços umedecidos (2).
- Fraldinhas de pano (10).
- Toalhinhas (5).
- Compressas de gaze.
- Banheira plática (1).
- Calça plástica.
- Babador (4).
- Roupinhas em geral (tamanho até 12 meses).
- Pratinho e talheres de plástico.
- Toalha de banho (2)
- Brinquedinhos próprios para bebê.

Sendo que as mamadeiras, pequenas ou grandes, somente são recomendadas para aquelas mamães que não possam amamentar ao seio, caso possam, não é necessário utilizar a mamadeira. O ideal é amamentar, exclusivamente no peito, até os seis meses de vida do bebê.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

O que levar para a maternidade: a mala da mamãe

- 3 jogos de camisolas que sejam práticas para a amamentação (abertas na frente)
- 1 robe
- 1 cinta pós-parto
- 3 pares de meia, caso esteja frio
- 6 calcinhas de algodão
- 1 chinelo de quarto
- 2 pacotes de absorventes próprios para o pós-parto
- 3 sutiãs de amamentação
- 1 pacote de protetores de seios
- Itens de higiene íntima: escova de dentes,creme dental, fio dental, escova de cabelos, shampoo, condicionador, sabonete, desodorante, creme hidratante, etc
- Kit de maquiagem básica, por exemplo: batom, rímel e blush (já pensou nas primeiras fotos como o bebê?)
- 2 toalhas de banho
- 2 toalhas de rosto
- 1 roupa para a saída do hospital.
- Câmera fotográfica e filmadora (não esquecer carregador, cartão de memória, pilhas, filme, etc)
- Celular (não se esqueça do carregador)
- Revistas e Livros
- Agenda Telefônica
- Carteira de identidade, documentos do plano de saúde e documentos para internação;
- Dinheiro trocado para o estacionamento ou qualquer eventualidade.

Dicas: evite levar jóias, relógios, etc; você não terá tempo de cuidar de objetos de valor, pois estará sonolenta ou cuidando do bebê.

Veja aqui a lista para a mala do bebê.

O que levar para a maternidade: a mala do bebê


A partir do 7º mês de gestação, você deve estar preparada para ir à maternidade a qualquer momento. Uma boa dica é confirmar com a maternidade o que deve levar: geralmente elas oferecem uma lista com dicas do que levar tanto para o bebê quanto para você.

A mala do bebê:
- 3 macacões de recém-nascido
- 2 conjuntos de lã ( caso esteja frio na época do nascimento) ou apenas 1 casaquinho
- 3 conjuntos de pagão (ou bodies) com calça
- 1 conjunto da roupa para sair da maternidade
- 6 fraldas de pano ou paninhos de boca
- 3 pares de meia RN
- 3 pares de sapatinhos de malha ou plush (caso o macacão não tenha pé)
- 3 pares de luvas de malha (mesmo no verão, para o bebê não se arranhar)
- 1 touca de malha ou tricot
- 1 escovinha macia para cabelos
- lacinhos de cabelo (se souber que é menina)
- 2 lençóis de bercinho
- 1 creme para prevenção de assaduras
- 3 pacotes de fraldas descartáveis para recém-nascido. Uma dica aqui é também levar fraldas de algodão, pois as fraldas descartáveis podem irritar a pele do bebê
- 2 mantas
- Lembrancinhas
- Enfeite para a porta do quarto
- Cadeirinha de bebê para o carro
- Álbum de recordações

Dicas: dê preferência aos tecidos de algodão, evite os sintéticos. Antes de fazer a malinha, lave as roupinhas do bebê com sabão neutro. Se possível, lave tudo à mão.

Para seu controle e assegurar que o bebê use as roupinhas do jeito e no dia que você deseja, organize as roupinhas e acessórios de cada dia em saquinhos etiquetados para dar à enfermeira. Com isso a bolsa do bebê ficará organizada e você não corre o risco de deixar alguma peça cair no chão.
Veja aqui a lista para a mala da mamãe.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Decorando o quarto do bebê

Qual mãe não gostaria de preparar um lindo quarto para seu bebê? Mas cuidado para não exagerar na extravagância. O bebê precisa sim de um ambiente aconchegante, e não um lugar tumultuado, cheio de cores e de objetos desnecessários que acumulam pó.

Primordialmente, o bebê necessita de um ambiente tranqüilo, especialmente nos primeiros meses, para lhe assegurar proteção de ruídos e de aberturas repentinas de portas e janelas.

Em segundo lugar, a área reservada ao recém-nascido deve ser de fácil acesso, para atender o bebê com rapidez quando necessitar. Uma boa opção para começar a decoração do quarto é planejando a distribuição dos móveis. Todos os móveis devem ser práticos e revestidos com materiais laváveis e resistentes, independente do estilo escolhido.

Uma dica importante: faça uma linha reta entre a janela e a porta do quarto para descobrir o caminho da corrente de vento. Posicione a cama ou o berço fora deste espaço. A partir daí, distribua o guarda-roupa e bancadas.

O mais recomendável é que você comece a se organizar com antecedência, pois são muitas as escolhas que tem pela frente. O ideal é que o quartinho esteja pronto até o 7º mês de gestação, pois depois desse período é comum que a mulher se sinta muita cansada e o bebê pode resolver dar o ar da graça um pouco antes do previsto.

Tons, cores e formas:
Além das cores tradicionalmente utilizadas, você pode inovar e usar variações de tons que sejam agradáveis para a criança.

Cores fortes como o vermelho, azul royal, amarelo ouro e verde são alegres, aguçam a curiosidade das crianças e estimulam a percepção das formas, mas com o tempo podem "cansar" a visão. Dê preferência aos tons pastéis, pois estes transmitem mais tranquilidade e ajudam a relaxar.

O xadrez, o poá (bolinhas) e as listras também podem ser utilizados de forma muito harmônica em um mesmo enxoval. Esta combinação é perfeita para aplicar em um trabalho de patchwork. A delicadeza dos trabalhos elaborados com fuxico dão um ar de graciosidade e leveza ao enxoval, sendo ideal para ajudar a compor o quarto das meninas.

As paredes podem ser:
- todas brancas: ideal para quartos onde o enxoval terá o predomínio de cores fortes.

- três paredes brancas e uma colorida: na parede colorida você pode usar nichos com bichinhos de pelúcia ou outros enfeites que combinem com o tema usado na decoração do quarto, quadros com suas fotos grávida, fotos do bebê no dia do nascimento, quadrinho com o significado do nome do bebê, com uma linda mensagem de boas-vindas, ou quem sabe uma oração, poema ou letra de uma música que você gosta.

- desenhos infantis, no tema do seu enxoval, podem ser pintados com a técnica da aerografia ou pode-se utilizar adesivos de parede.

- outra opção muito utilizada é usar uma cor na metade da parede para baixo e outra cor da metade para cima. No encontro das cores você pode aplicar border auto-adesivo no tema do seu quarto.

Móveis e artigos de decoração:
Os móveis indispensáveis para o quarto do bebê são o berço e a cômoda, que serve para guardar as roupinhas e também como trocador.

Dependendo do espaço que você tem disponível e das suas necessidade é que serão escolhidos os demais móveis, tais como: cama da babá, cadeira de balanço, guarda-roupa, prateleiras, lixeira, criado mudo, nichos para decoração, cortinas ou persianas, quadros, luminárias, abajur, tapetes, caixa para guardar brinquedos, kit higiene, enfeite para porta do quarto, etc.

Enxoval para o berço:
01 colchão
01 travesseiro anti-sufocante
04 lençóis
04 fronhas
01 protetor de colchão
02 colchas ou edredons
02 cobertores
01 protetor de berço (para as laterais)
01 cortinado ou mosquiteiro

Itens como rolinho, saia para berço, almofada, bandô, etc, ajudam na decoração mas são dispensáveis.

Cortinas e persianas:
As cortinas dão um charme ímpar ao quartinho do bebê. Você pode usar duas cortinas sobrepostas onde a de cima é confeccionada com um tecido leve e esvoaçante na cor branca sobre um outro tecido de cor. O bandô da cortina e o do berço devem seguir o mesmo estilo.

Em cidades do nordeste e em outras regiões do país muito ensolaradas é recomendável usar cortinas black-out, que tem a função de impedir a entrada de luz.

As persianas em pvc são muito utilizadas no quarto do bebê pois é possível limpá-las com maior frequência utilizando apenas um pano úmido.

sábado, 28 de agosto de 2010

Chá de bebê ou chá de fralda - qual a melhor opção?

A intenção do chá de bebê ou chá de fraldas é ajudar a futura mamãe a se equipar para esse início cheio de despesas e ajudá-la emocionalmente nessa nova fase, pois é importante que ela sinta o apoio dos amigos e familiares participando dessa etapa de sua vida, mesmo que não seja seu primeiro filho.
Entretanto, muitas grávidas preferem não realizar o chá por não gostar das tradicionais brincadeiras ou por preferir comprar o enxoval pessoalmente. Cada grávida deve avaliar os seus motivos pessoais para fazer ou não o chá de bebê ou de fraldas, o importante é respeitar a sua individualidade, sem nenhuma regra, nem pressão

Quando realizar?
O melhor momento para se realizar o chá é no sétimo ou no oitavo mês de gravidez.

Duração da festa:
O evento deve durar até três horas, em média, para não cansar a futura mamãe.

Diferença entre chá de bebê e chá de fralda:
O chá de bebê é ideal para quem gosta de muita descontração e surpresas, pois se a mamãe quiser, os presentes podem ficar totalmente ao gosto dos convidados (caso o convite não especifique o que cada um deve levar). Fique certa de que você vai ganhar muitas roupinhas e fraldas caso faça essa opção.

Se você prefere escolher os itens que vai ganhar e também deseja facilitar a vida dos convidados, é recomendável especificar no convite o artigo que cada um deve levar (seja bem específica mesmo, dizendo a marca, o modelo, a cor e a quantidade desejada) ou então, diga a cada um o nome de uma loja onde foi deixada a lista com todos os itens que você gostaria de receber. Caso você receba algo que lhe desagrade, fica bem mais fácil trocar, pois as lojas que aceitam a lista normalmente se prontificam a efetuar trocas.

No chá de fralda, como o próprio nome já sugere, todos os convidados devem presentear a futura mamãe com pacotes de fralda descartáveis ou de pano, sendo este tipo de chá o ideal para as mamães que preferem escolher o enxoval pessoalmente.

O chá de fralda vem sendo a principal escolha entre as grávidas pois o bebê certamente necessitará de muitas fraldas diariamente até os 2 anos de idade, sendo que as fraldas representam uma das principais despesas com o pequeno.

O ideal é indicar no convite a marca, o modelo e o tamanho da fralda desejada. Lembre-se de colocar pelo menos duas marcas diferentes de fralda descartável, porque seu bebê pode desenvolver alergia a uma marca específica. Peça também tamanhos diferente: P é usado até os 2 meses, em seguida já deve ser usada a M, por exemplo.

Além das fraldas, pode-se também pedir outros artigos de higiene, como lenço umedecido, algodão, cotonete, shampoo, sabonete, etc.

Calculadora de fraldas - descubra quantas fraldas descartáveis seu bebê vai usar

Um dos principais itens do enxoval do bebê é a fralda descartável. Mas qual a quantidade de fraldas que devemos adquirir? Acompanhe as nossas dicas a fim de evitar o desperdício ou a falta de fraldas, e consulte a tabela abaixo para saber quantas fraldas seu bebê realmente vai precisar.
Se você for celebrar um chá de fraldas, poderá preparar um estoque para 30, 60 ou quem sabe até mais dias dependendo do número de convidados.

Tamanho RN (até 3,5 Kg)
Muitos bebês nem chegam a usar o tamanho RN, pois já nascem com um peso igual ou superior à capacidade citada pelo fabricante. Entretanto é recomendável adquirir pelo menos 1 ou 2 pacotes para estar preparada caso seu bebê resolva fazer uma surpresinha chegando antes do tempo previsto.

Tamanho P (até 5 Kg)
Nos primeiros dois meses de vida do bebê, as trocas de fralda são mais frequentes, sendo necessárias, em média, 8 fraldas por dia ou 240 fraldas por mês do tamanho P. Apesar de existirem fraldas com alto poder de absorção, é recomendável a troca frequente para deixar a pele do bebê sempre limpa e sequinha. O acúmulo de xixi pode favorecer o surgimento de assaduras e a proliferação de fungos, principalmente em meninas.

Tamanho M (de 5 Kg a 9 Kg)
Por volta do 3º mês o bebê já começa a usar fraldas do tamanho M, que é ideal para crianças com mais de 5 Kg. Agora as trocas já são menos frequentes sendo necessárias cerca de 6 fraldas por dia.

Tamanho G (de 9 a 12 Kg)
Com cerca de 9 meses, as crianças mudam novamente de tamanho e começam a usar tamanho G. Nessa fase costumam ser usadas 5 fraldas por dia.

Tamanho EG (acima de 12 Kg)
Após os dezoito meses, há nova troca de tamanho, mas a quantidade de fraldas usada diariamente permanece em torno de 5 unidades.


Tabela - quantas fraldas seu bebê vai precisar:

- Até 2 meses - 240 fraldas por mês - total: 480 fraldas tamanho P
- De 3 a 8 meses - 180 fraldas por mês - total: 1080 fraldas tamanho M
- De 9 a 18 meses - 150 fraldas por mês - total: 1500 fraldas tamanho G
- De 18 a 24 meses - 150 fraldas por mês - total: 1050 fraldas tamanho EG

Lembre-se: esta é apenas uma estimativa; os números podem variar de acordo com o peso e as características pessoais de cada bebê. No chá de fraldas, é interessante pedir fraldas diurnas e também noturnas, de modelos e marcas variadas, pois alguns bebês com peles sensíveis podem não se adaptar a um determinado modelo e assim você terá outras opções guardadinhas.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...